1° de dezembro

A vida é mais forte que a AIDS

Hoje é o Dia Mundial da Luta Contra a Aids. Não sei exatamente há quanto tempo existe esse dia, mas acredito que seja há mais de dez anos porque eu me lembro quando eu era adolescente e já existia esse dia. Muito tempo se passou então e hoje parece meio desnecessário falar em camisinhas e agulhas descartáveis, pois todo mundo já está careca de saber que é preciso se proteger, mas ainda existem pessoas resistentes ao uso da camisinha. Calma, não vou falar sobre como colocar uma camisinha porque todo mundo já sabe e se não sabe é só ir em algum posto de saúde pegar um pacote de camisinha e um folheto de como utilizá-la.

O foco da campanha neste ano são as pessoas HIV positivas. Como disse, já sabemos como nos proteger, então realmente acho que hoje é preciso falar sobre como conviver com pessoas HIV positivas. Já sabemos que não se pega AIDs respirando o mesmo ar ou com um aperto de mão, mas mesmo assim ainda parece haver certo preconceito com as pessoas aidéticas. Qualquer um, hoje em dia, pode pegar AIDS. Não é mais o estilo de vida que você leva que te faz mais propenso ou não a pegar AIDS.

Se as pessoas contaminadas conseguiram aprender a conviver com uma doença que fatalmente irá tirar-lhes a vida, por que não podemos aprender a conviver com essa pessoa sem medo? Você pode não saber, mas aquele pessoa sentada ao seu lado no cinema pode ser uma pessoa HIV positiva, mas você não sabe então tanto faz como tanto fez para você, mas uma mera informação como ser aidético (ou mesmo ser homossexual) pode mudar seu comportamento. E eu pergunto: por que? Qual a diferença que essa informação irá fazer? Medo de ser contaminado porque está sentado ao seu lado? A não ser que você esteja tendo relações sexuais com alguém contaminado sem proteção ou tomando drogas com agulhas compartilhadas, não é preciso ter medo dessas pessoas. Tocá-las, mexer em seus cabelos, conversar não vai te contaminar.  E o que o mundo precisa atualmente é um pouco de carinho entre as pessoas.

 

Embora ainda seja tabu para algumas famílias e pessoas, tente conversar sobre sexo e como se proteger. Não precisa ser com seus pais nem com seus professores, pode ser com suas amigas e amigos, ler uma revista ou um informativo. O importante é você saber o que você está fazendo, como fazer e como se proteger. E divulgue o seu conhecimento. Este é o site do governo com toda a informação necessária.

 

E se um dia você decidir não usar camisinha, seja responsável. Saiba sobre a pessoa e sobre você principalmente. Lembre-se: querendo ou não, você é responsável por você e pela pessoa que está ao seu lado.

 

E mais importante ainda: não é só hoje que devemos discutir sobre essa doença, todo dia é dia.

 

P.S. – No site da campanha deste ano há os comerciais, os logos e tudo mais para você divulgar e aprender.

 

Imagem: Logo da Campanha de 2006

Anúncios

Um comentário sobre “1° de dezembro

  1. Você já pensou em mandar um currículo pra alguma revista ou jornal? Tua “coluna” é muito boa e, dadas suas preferências, é interessante para os heteros leigos desmitificarem muitas coisas, interessante como “espelho” homossexual na mídia etc.
    Grande Abraço.

    Fico envergonhado…hehehehe. Mas respondendo sua pergunta, nunca pensei não. Esse blog é o meu hobbie e não sei se fazer dele um tipo de ganha-pão teria o mesmo prazer.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s