Arte e Som #8

Talvez ela não seja uma celebridade no cenário musical, afinal ela nunca quis isso também. Provavelmente, não possui milhares de fãs loucos e descabelados gritando seu nome por aí, mas que ela possui milhares de fãs ao redor do mundo, ela possui. Se a Björk tenta fundir música e arte atualmente, Kate Bush já fazia isso há 30 anos atrás. E o melhor resultado dessa fusão foi o seu primeiro sucesso Wuthering Heights. Lançado no final da década de 70, a música baseada no livro de mesmo nome (traduzido aqui no Brasil como Morro dos Ventos Uivantes) da escritora Emily Brontë traduz com perfeição para o cenário pop um clássico da literatura inglesa. Mas o que me deixa mais impressionado é a capacidade de traduzir o sentimento de um livro em menos de 4 minutos. Ela poderia conceber um épico de 8 minutos, mas talvez não teria a perfeição que há em somente 4 minutos. Com Wuthering, Kate foi a primeira mulher no Reino Unido a alcançar o primeiro lugar nas paradas com uma canção própria.

Kate Bush assinou um contrato com a gravadora EMI aos 16 anos, indicada por ninguém menos de David Gilmour do Pink Floyd, que impressionado com aquela jovem, ajudou a financiar as primeiras fitas demo. Kate poderia se impressionar com o novo mundo que se abria diante de seus olhos, porém ela preferiu terminar seus estudos antes de lançar um álbum. Foram dois anos de contrato sem lançar nada até seu primeiro álbum que continha Wuthering Heights. E assim seguiu-se sua carreira. Sempre com anos de intervalos entre um disco e outro (foram oitos disco em 30 anos de carreira, faça as contas), mas sempre concebendo músicas inteligentes e nada previsíveis.

Se os outros posts dessa série mostram vídeos que possuem uma linguagem inovadora ou diferente em imagens, o vídeo da Kate Bush é um vídeo simples, provavelmente, de baixíssimo orçamento. E é melhor assim, porque a magia dessa música está em você prestar atenção na letra, nos arranjos e na performance dela. E se você acha que ela é uma louca fazendo movimentos estranhos no vídeo, você está muito errado. Ela estudou dança também e sendo a Kate uma artista completa, sua performance no vídeo complementa a interpretação da música.

 

Anúncios

2 comentários sobre “Arte e Som #8

  1. Kate Bush é uma artista completa para mim. Ela não dá ponto sem nó. Ela é maravilhosa!
    Eu não tinha interpretado como um adeus fantasmagórico, sempre foi uma incógnita para mim. Mas agora que você citou, tudo faz sentido

  2. Ela só tinha 18? Nossa, eu era apaixonada por ela. Pela música e pela dança (tá vendo, eu já era eu aos 6 meses de idade). Fora a clássica estrela, exercício icônico dos 80. E quem mexe o braços como ela? Tou pra ver… Fora que ela parece uma assombração nesse clipe, tudo a ver. E o adeus fantasmagórico?!? Dez!!!

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s